link_home
TvZero
‘CEGUINHAS VIRAM ESTRELAS DE CINEMA’

Filme das três irmãs de Campina Grande tem pré-estréia hoje, no Iguatemi e amanhã no Mag Shopping, em João Pessoa. o lançamento oficial será no dia 15.

A notícia foi dada pela Rádio Borborema: “Ceguinhas de Campina Grande viram estrelas de cinema”. Esta foi a chamada do programa Matutino Borborema, às 7h, quando os radialistas informavam aos ouvintes o lançamento do longa-metragem ‘A pessoa é para o que nasce’, com a participação das irmãs Francisca Conceição Barbosa, 54, Maria Barbosa, 60 e Regina Barbosa , 62, conhecidas carinhosamente por Indaiá, Maroca e Poroca. A notícia surpreende as protagonistas campinenses, que até então não tinham consciência da mudança de vida que o longa estava proporcionando às suas vidas.

“Ao ligar o rádio, pela manhã, para ouvir o Matutino Borborema, como fazemos todos os dias, a notícia foi recebida com muita surpresa, quase caio ao saber que estávamos sendo vistas como estrelas de cinema”, disse Francisca, em entrevista ontem a uma emissora de rádio de Campina. As irmãs asseguraram que não voltam mais a pedir nas ruas e confirmam a mudança que o filme proporcionou na vida delas. Com o cachê que estão recebendo pelos shows, participações em eventos e com o filme, já adquiriram uma casa para uma das irmãs e estão viajando muito para São Paulo, Rio de Janeiro, inclusive participando do São Paulo Fashion Week.

As ceguinhas de Campina, como também são conhecidas, já participaram de capítulos da novela América, da Globo, de vários programas, foram homenageadas pelo Ministro da Cultura, Gilberto Gil. No São João de Campina acompanharam a cantora Ladja Betânia no show no palco principal e arrancaram aplausos da platéia. Sustentando até 14 pessoas, cantando cocos, tocando ganzá e pedindo esmolas, as irmãs dominam a música de domínio popular do Folclore Nordestino es estão encantando pela capacidade de sobreviver mesmo com as limitações.

Filme

O filme “A pessoa é para o que nasce”, de Roberto Berliner, contando a história das três irmãs cegas de campina Grande, teve seu lançamento em Minas Gerais, depois de já ter sido lançado em Brasília, Rio de Janeiro e São Paulo. Na Paraíba, com o apoio do governo do estado, a avant-premiére será hoje, no Iguatemi, em Campina Grande e amanhã, no Mag Shopping, em João Pessoa.

O documentário produzido em longa-metragem terá seu lançamento oficial em todos os principais cinemas do estado no dia 15. As três irmãs estão conquistando o Brasil e arrancando elogios de nomes como Gilberto Gil e Naná Vasconcelos.

O filme conta o amor, o destino e a sedução do cinema na visão de três irmãs cegas: Regina, Maria e Conceição. Unidas pela peripércia incomum do destino, elas viveram cantando e tocando ganzá em troca de esmolas ns cidades e feiras do Nordeste. O filme de Berliner acompanha os afazeres cotidianos destas mulheres e revela as curiosas estratégias de sobrevivência, da qual participam parentes e vizinhos. E, num efeito cinematográfico, transforma as três irmãs em celebridades.

Em 1997, durantes as filmagens da série de TV “Som da rua”, sobre músicos anônimos, o diretor Roberto Berliner conheceu as irmãs Regina, Maria e Conceição. Como elas já não cantavam mais nas ruas, não possuíam mais os ganzás, sem os quais não se sentiam à vontade par cantar. Enquanto a produção providenciava novos instrumentos, a equipe conversou longamente com às três. A filmagem para o programa foi realizada, mas Roberto deixou o set tão impressionado com o que viu e ouviu que decidiu que as três ceguinhas seriam o tema de seu próximo filme. Alguns meses depois, Roberto voltou ao Nordeste com o roteirista Maurício Lissovskye uma câmera digital. , 08 de Julho de 2005