link_home
TvZero
DRAMA SOCIAL SEM VIÇO

“Creonte em nada concorreu para teu mal, tu somente és teu próprio inimigo”, diz Tirésias para o monarca de Tebas no arquétipico Édipo rei de Sófocles. Na trama, Tirésias é cego. O vislumbrar da luz lhe foi podado, assim como aconteceu com Maria, Regina e Conceição, as protagonistas do terno A pessoa é para o que nasce. No entanto, mesmo destituído de visão, Tirésias é estandarte de sabedoria. infelizmente, em seu processo de montagem, o diretor Roberto Berliner não encontrou em seu caminho alguém como o misterioso grego, que pudesse lhe dizer que a excessiva preocupação em expor suas peonagens como “atrizes sociais” tirou completamente o viço de seu filme. Berliner optou por outros caminhos, e o fez com resolução de artista consciente, mas não atingiu o melhor dos resultados. O peso mastodôntico de algumas das melhores seqüências se esvai completamente quando os holofotes do showbiz invadem a cena. Claro que há encanto de sobra na boca de suas personagens, mas isso não basta para qualificar o documentário como um grande espetáculo cinematográfico. É apenas o real exercendo sua ontológica condição de falar e se fazer ouvir. Se há riqueza estética impar em cena, ela está nas solidez da direção de fotografia de Jacques Cheuiche, um profissional de extrema competência (comprovada nas todas de Edifício Master), que ali soube jogar com as sombras a seu favor. , 03 de Junho de 2005