link_home
TvZero
RENOVANDO A ENERGIA DA CULTURA

Lançada esta semana a edição 2004/2005 do Programa Petrobrás Cultural, o maior projeto integrado de incentivo à cultura

A maior patrocinadora da Cultura Brasileira, a Petrobrás, está mais uma vez abrindo as portas aos produtores culturais de todos os recantos do país. O acesso começa pelo site da Petrobrás, em que a nova edição do Programa Petrobrás Cultural anuncia uma verba de R$ 61 milhões, superior à de 2003. Desta vez, o programa embute novidades que certamente serão bem-vindas a todas as tribos, como o apoio ao registro e difusão de música, e à preservação e difusão de acervos de museus, arquivos e bibliotecas. Para completar, o programa terá, a partir de 2005, um canal próprio de divulgação, uma revista eletrônica concebida para refletir as inúmeras e diversificadas manifestações que escapam aos olhos da mídia convencional.

O Programa Petrobrás Cultural baseia-se em dois grandes eixos- “Preservação e Memória” e “Produção, difusão e Reflexão” – e apresenta duas formas de contemplar os projetos – seleção pública, para a qual são reservados 75% dos recursos e escolha direta pela Petrobrás. A intenção é estimular a criação, produção e difusão da cultura brasileira.

O Programa Petrobrás cultural articula-se com as políticas públicas para a cultura, colaborando para sustentar as metas do Governo Federal nesta área. Essa integração evidencia-se na composição do Conselho do Programa, que conta com representantes do Ministério da Cultura e da secretaria de Comunicação de Governo e Gestão Estratégica (SECOM), ao lado da empresa e dos consultores do programa. “è esse conselho que define a cada ano as áreas para as quais serão abertas seleções públicas e que dá a palavra final sobre os projetos que serão contemplados”, diz Eliane Costa, gerente de patrocínios da Petrobrás.

O Programa Petrobrás Cultural mantém em 2004 as diretrizes gerais traçadas no ano passado. Isso porque a abordagem rendeu bons frutos, na avaliação dos três consultores que integram o Conselho do Programa desde o início: o músico, escritor e professor de literatura, José Miguel Wisnik, a coordenadora da cultura da Unesco no Brasil, a arquitetura e urbanista Jurema Machado, e o crítico de cinema José Carlos Avellar.

Eles consideram especialmente bem-sucedida a proposta de apoio a projetos de preservação e memória até mesmo do patrimônio imaterial. “Com isso, estimula-se a pesquisa e preenche-se uma lacuna, pois os patrocinadores culturais normalmente privilegiam a promoção de eventos”, enfatiza Jurema. Ela também ressalta o sucesso do programa quanto à recuperação e circulação de acervos particulares, sobretudo de artes. “Sem recursos, esses acervos vão se perdendo”, conclui a consultora.

Com o objetivo de incentivar a produção de espetáculos de dança e de teatro, esta nova edição do Programa Petrobrás Cultural anuncia também o apoio da empresa ao edital de Fomento à Produção de Artes Cênicas a ser lançado, no início do ano, pela Funarte, a empresa anuncia a continuidade do suporte ao Projeto Pixinguinha, cuja retomada foi garantida graças à edição anterior do programa.

Para José Carlos Avellar, um dos aspectos mais importantes do Programa Petrobrás Cultural, especialmente para a produção cinematográfica, é a continuidade das ações, o que abre um horizonte aos produtores. “Eles sabem que regularmente terão a oportunidade de submeter um projeto a uma seleção da Petrobrás”, destaca Avellar. O consultor também lembra que é a única pré-condição para a inscrição é o currículo do pleiteante, pois a idéia é atenderas propostas mais variadas possíveis, quanto a estilos e formatos.

Com as novidades da atual edição, o programa ficou ainda mais interessante para os produtores musicais, segundo José Miguel Wisnik. Primeiro, porque abriu espaço para produtores contemporâneos que, embora consolidados, não chegam ao público por dificuldade de acesso à mídia. Mas também porque incluiu o apoio a bandas, orquestras e corais jovens já existentes em todo o país, os quais agora poderão pleitar recursos para fortalecer sua infra-estrutura, renovar seus materiais musicais e propiciar sua circulação regional. A música também será umas das áreas mais beneficiadas pelo website, pois na Internet tem se mostrado promissora para a divulgação de novos artistas. “Estamos apostando na criação de meios alternativos de difusão”, afirma Wisnik.

A idéia de criar o website amadureceu a partir das reflexões do conselho do programa sobre o tema “Difusão”, segundo o antropólogo e jornalista Hermano Vianna, convidado pela Petrobrás para se desenvolver a nova mídia. Por conta da limitação de tiragens e até da complexidade da distribuição, diz ele, livros, CDs e Cd – ROMs, por exemplo, acabam não conseguindo a merecida repercussão no público. , 08 de Novembro de 2004